Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estapafúrdios do Quotidiano

Sexo post mortem

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 02.07.13

Olá, olá amigo leitor. Então, como estão esses ossos? Estão todos contentes não é? O Gasparzinho foi-se embora... E não me refiro ao Gasparzinho - o fantasminha brincalhão - mas sim, ao Gasparzinho - o Ministro mauzão! Ah pois é!! Palmas para a demissão do Gaspar! (CLAP CLAP CLAP) Pena é que a senhora que o veio substituir, também não é flor que se cheire... Mas pronto, é o que se arranja...

 

Mas já chega de falar deste assunto, até porque já saiu um estapafúrdio, no Jornal do Barreiro, sobre este tema. Se por ventura ainda não o leu passe por aqui: http://www.jornalbarreiro.com/new.php?category=7&id=11435
 

(Agora que já fiz um pouco de publicidade ao outro estapafúrdio do dia, vamos lá falar sobre este...)

 

Então não é que uma senhora, lá para os lados dos «States», engravidou de um morto!! Mas é que foi mesmo dele, não foi como a outra, que disse ao marido que tinha engravidado a ver um filme porno em 3D... Esta senhora andou mesmo no"foni-foni" e "coiso e tal" com o cadáver até que ele ejaculou dentro dela acabando por a engravidar!! A sério!! Não estou a brincar... Ai não acredita?! Eu também não acreditava mas agora depois de ver a carta que o nosso investigador, nos enviou, não tem como desconfiar da veracidade desta história. Ora veja lá...

 

Carta enviada pelo nosso investigador, Jo-sé (com acento no é):

 

"Ex.mos amigos, colegas e patrões do Estapafúrdios do Quotidiano - Gil e Ric - quero que saibam que decidi ficar para sempre no Missouri junto da Felicity! Aproveito também para vos dizer, que não poderei continuar a ser investigador dos Estapafúrdios do Quotidiano pois para onde vou, seria bastante difícil trazer-vos notícias estapafúrdias. Não é que não hajam, pois as notícias estapafúrdias são como cocó de cão em passeio -acabamos sempre por nos deparar com elas - mas é complicado como o caneco, enviar notícias de «Lá» para Portugal....

Por todas estas razões, quero despedir-me de vocês e agradecer-vos por me terem enviado nesta minha ultima investigação pois é graças a ela que a minha vida irá mudar!

 

Caso se estejam a perguntar sobre qual o motivo que me levou a tomar tal decisão, a resposta é muito simples. Estou deveras apaixonado pela Felicity! Temos passado uns dias maravilhosos: ido a funerais, fizemos 2 ou 3 pic-nics em cemitérios, partilhamos pipocas enquanto velávamos um corpo e ela até me deixou autopsiar uma senhora velhota. Agora, depois de tudo isto, estamos prontos a passar ao próximo passo – “fazer o amor“ – mas para isso tenho que me suicidar primeiro, pois ela já me disse que só faz sexo com mortos.

Confesso que ao inicio fiquei um pouco renitente mas ela explicou-me que assim o sexo será mais fugoso e demorarei mais tempo a ejacular. Ela própria já teve outras relações sexuais com um ou outro defunto e todos eles acharam o mesmo. Sexo post-mortem é a loucura do momento!

 

Peço-vos que enviem os pagamentos que estão em atraso à ordem dela porque a mim o dinheiro não fará muita falta, e ela coitada tem que pagar $250.000 de multa por um mal entendido qualquer, com a familia de um ex-namorado. 

 

Enviem por favor a carta com o cheque à ordem de :

Felicity Marmaduke (como o cão)

Necrotery Street, number 666, Lexington - Missouri,

Estados Unidos América.

 

Obrigado por tudo e vemo-nos na After Life! É tipo uma After Party, mas dura mais!

Cumprimentos

 

Jo-sé (Com acento no é)."

 

GIL

Queres ser feliz? Tens bom remédio – protesta!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 01.07.13

Mas que grande bosta, hein? É verdadeiramente triste o que se está a passar! É, não é? Claro que é! Isto é gravíssimo! Ainda por cima, até o calor se aliou ao que se está a passar! É uma tortura, isto! Ninguém o merece! Isto é revoltante! Quando uma pessoa se depara com uma situação destas – simplesmente horrível –, só apetece é fazer uma loucura! É só isso que me ocorre, quando me interrogo sobre a real razão para que isto se suceda! Pois é, meus amigos, isto de ser segunda-feira é um ultraje! Ui… o que isto custa… só me dá vontade de sei lá do quê! (Já agora… «Sei lá do quê», quer dizer o quê mesmo?)

 

Só existe uma coisa capaz de alegrar este início de semana: um belo de um estapafúrdio! E é isso que os meus caros amigalhaços leitores estão à espera, não é? Vá… deixem-se de modéstias que eu sei bem que sim… Estavam para aí em pulgas, seus malandremos… «Ai!, nunca mais chega o estapafúrdio de hoje… Que raios, pá… Hoje o RIC está a demorar muito a apresentar o estapafúrdio! Eu estou aqui todo tristonho, por ser segunda-feira, e o raça do estapafúrdio nunca mais sai…» É isto que estão a pensar, não é seus malandrecos? Vá, parem lá de roer as unhas que aqui está ele – o estapafúrdio desta segunda-feira!

 

Os meus amigos sabiam que protestar faz muitíssimo bem à saúde? É verdade! Protestar, traz alegria! (Que o digam os desgraçados dos Turcos que fartaram-se de levar porrada por protestar! Ou mesmo, os coitados dos Brasileiros…) Não sou eu que o afirmo, mas sim, o psicólogo John Drury, da Universidade de Sussex, no Reino Unido. Este menino, decidiu entrevistar alguns conhecidos activistas do Reino Unido, numa clara tentativa de descortinar qual o sentimento que eles sentiam ao protestar, ou de ter – no passado – protestado ou participado em alguma manifestação. Assim que ele começava por perguntar aos ativistas como tinham decorrido os protestos, eles desatavam a sorrir, dando um claro sinal do prazer interior que esses mesmo protestos lhes proporcionavam. No final das entrevistas, John Drury, chegou à conclusão que protestar é sinónimo de bem-estar, fortalecimento do sistema imunitário, redução de dores, assim como a redução de ansiedade e depressão. Ao fim ao cabo, protestar é fixe! Ou não? John Drury diz que sim... Decidimos falar com um desses activistas – entrevistados pelo psicólogo – e saber o que leva a que, o simples facto de protestar, é sinónimo de alegria e bem-estar.

 

RIC: Boa tarde, caro amigo!

 

Activista: Boa tarde? Mas qual boa tarde! Como é que pode dizer que é boa tarde? Para ser boa tarde, deveríamos estar todos na rua a protestar contra a utilização de animais como cobaias em testes químicos!

 

RIC: Ah... Tem toda a razão, meu amigo... Mas...

 

Activista: Tenho razão, sim senhor! Mas, não basta dizer que tenho razão! Temos de nos unir! O povo tem de se unir! Vamos mostrar a esses canalhas, que o povo não está adormecido! Vamos embora!

 

RIC: Calma, calma... Vamos lá ver...

 

Activista: Mas qual calma?! Aqui não pode haver calma! Temos é de nos fazer à luta! A luta contra os impostos! Não podemos ser «comidos» desta forma!

 

RIC: Eh, homem... Tenha lá calma! Você está muito enervado! O que é, indiscutivelmente, o inverso do estudo de John Drury...

 

Activista: Quem? Quem é esse? Algum político, não? Vamos embora para a rua! Abaixo os políticos! Abaixo a corrupção! Abaixo o abaixo!

 

RIC: Hum? Abaixo o abaixo? Mas que raio quer isso dizer?

 

Activista: Hã? Sei lá... São palavras de protesto! Quero lá saber o que querem dizer! Eu quero é protestar contra a injustiça que existe neste mundo!

 

Contra a injustiça que é, diariamente, infligida ao povo! Isto não pode continuar assim! Vamos para a rua!

 

RIC: Você está realmente indignado, homem... Tenha lá calma...

 

Activista: Claro! Tenho de estar! Você acha que tenho razões para não estar? Acha?! Hã?!

 

RIC: Sim... Tem toda a razão... Mas, não é isso que afirma John Drury – o psicólogo que afirma que protestar, traz alegria ou bem-estar ao protestantes...

 

Activista: É verdade, sim senhor! Eu sou uma pessoa bastante feliz, quando estou a protestar! Quando não me encontro a protestar, sou uma pessoa amargurada e bastante triste...

 

RIC: Ai é? Mas porquê?

 

Activista: Homem... Eu quando estou a protestar, é sinal que não estou a trabalhar... O que já não acontece, quando não estou a a protestar! Por isso, decidi mudar de vida e ser um protestante activo! Passo 4 dias da semana a protestar! Contra o quê! Contra tudo! Não interessa o tema, mas sim, o facto de estar a protestar! Enquanto protesto, não trabalho! Logo, sou feliz!

 

RIC: Ah... Chamem-lhe parvo, chamem-lhe...

 


RIC

Pág. 6/6