Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estapafúrdios do Quotidiano

A musicalidade sexual de uma simples salsicha…

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 05.12.14

A minha avó sempre me disse: «Raios partam o puto! Não sabes que não se brinca com a comida?!» E depois aplicava-me uma estampilha que me fazia quase dar uma volta de 360% com a cabeça. Sim, e consta que foi a minha avó que deu esta ideia a William Friedkin, o realizador do filme O Exorcista, de 1973, que acabou por a usar no filme sem pagar um cêntimo à minha avó, aquela besta! (O realizador, é claro. Não a minha a avó… Porque se ela lê isto, ainda me aplica uma valente estampilha…)

 

Surgiu recentemente nas «internetes», uma jovem que parece não surtir qualquer respeito pela comida. Ai, se ela tivesse uma avó como a minha, claramente que isso tinha mudado. Falo, claro, de uma jovem (bem jeitosa, diga-se de passagem…), que surge num vídeo no Youtube a fazer música com uma data de alimentos — dos quais destaco as salsichas… —, e usando o seu próprio corpo, especialmente as nádegas, para produzir a música. Fomos falar com esta menina, e saber como surgiu esta ideia de fazer música com os alimentos…

music.JPG

 


RIC: Olá, sua jeitosa-mas-ao-mesmo-tempo-uma-derespeitadora-pela-comida-e-que-merecia-era-uma-estampilha-bem-aplicada-hum-hum-nas-nalgas…

 

Jovem: Olá. Olha, importas-te de me passar aí essas salsichas alemãs, que estão em cima da cama?

 

RIC: Hum. Claro, claro. Mas para que é que tu queres as salsichas alemãs… Não me digas que… vais… introduzir isto… na tua… Hum…

 

Jovem: Oh, isso queria eu! Mas não, é só para fazer música. Olha, ainda bem que estás aqui. Importas-te de fazer de cameraman, e filmar-me a fazer música com essas salsichas alemãs?

 

RIC: Hum, tudo bem. Já que aqui estou, não tem qualquer tipo de problema…

 

Jovem: Nice. Bom, deixa-me só aqui despir a roupa e ficar de lingerie…

 

RIC: EI! EI! O que pensas que estás a fazer? Tu estás a despir-te?…

 

Jovem: Sim, claro! Que raio de pergunta! Qual é o mal?

 

RIC: Nenhum! DESPE-TE! DESPE-TE! Ai, que belo rabiosque! Ai, ai… Parece que finalmente vou ter alguma sorte na minha vida…


Jovem: Não digas disparates e segura a câmera, enquanto eu aplico umas valentes bordoadas com estas salsichas nas minhas nádegas. Tenta focar bem as batidas nas minha nádegas, ok?

 

RIC: Oh, por DEUS! Mas é claro que eu vou focar bem as tuas nádegas! Ai não, que não vou!

 

Jovem: Oh, mas estas salsichas estão moles… É impossível conseguir uma boa batida sonora… Será que… podias… hum… tipo…

 

RIC: MAS É CLARO QUE POSSO! AI, NÃO QUE NÃO POSSO! A MINHA SALSICHA É A TUA SALSICHA! PODES FAZER O QUE QUISERES COM ELA! E ELA, NESTE MOMENTO, DE MOLE É QUE NÃO TEM NADA! POR DEUS, É SÓ DIZERES O QUE PRECISAS E EU FAÇO! AI, MÃE! AI, MÃEZINHA!

 

Jovem: Porreiro. Então vai ali buscar umas salsichas que tenho no congelador. Vais, por favor?

 

RIC: Oh… eu logo vi que era sorte a mais… RAIOS!

 

 

Reparem bem na musicalidade da coisa:

 

 

RIC

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.