Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estapafúrdios do Quotidiano

Parabéns Rádio Comercial!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 12.03.15

Hoje a Rádio Comercial celebra 36 anos de vida! E, segundo soubemos, há uma festa toda catita a decorrer na rua em frente à Rádio. Há bolo, há balões, há bebida, há galhofa da boa, só não há mesmo é a malta do Estapafúrdios do Quotidiano (que é como quem diz, Eu e o RIC)... Uma enorme falha da vossa parte, diga-se de passagem. “Shame on you!”

Por isso decidimos dedicar-vos o nosso estapafúrdio de hoje. Ou, mais propriamente dito, aos animadores das Manhãs da Comercial: Pedro Ribeiro, Vanda Miranda, Vasco Palmeirim, Nuno Markl, ah! E claro, Ricardo Araújo Pereira. Ora vejamos…

 

 (Entrevista aos “Fantastic 5”, numa realidade paralela, onde a Rádio Comercial nunca chegou a existir…)

 


Gil: Ora viva! Será que podia falar um pouco consigo?

Pedro Ribeiro: Comigo?! Quem é o senhor?! E porque quer falar comigo?

Gil: Eu sou o GIL, um dos co-autores do blog Estapafúrdios do Quotidiano. E queria apenas fazer-lhe umas perguntinhas, acha que é possível?

 

Pedro Ribeiro: Perguntinhas? É para a T.V.? Não me diga que é para o "Você na TV". Aiii, gosto tanto do Goucha... Mas quem é o senhor!

Gil: Então pá?! Já lhe disse. O meu nome é Gil e sou um dos autores do blog Estapafúrdios do Quotidiano!

 

Pedro Ribeiro: AHH!! Claro. Se é assim tudo bem... Digo-lhe tudo o que quiser saber. Mas antes, diga-me só uma coisa: quem é o senhor? E o que quer de mim?

Gil: Mau… Mas você está a gozar comigo? 


Pedro Ribeiro: Antes estivesse... É que eu sofro de amnésia! Só consigo lembrar-me das coisas que aconteceram antes de 23 de Janeiro de 1992. Aquele fatídico dia...

 

Gil: Então? O que lhe aconteceu a 23 de Janeiro de 1992? Consegue lembrar-se?

 

Pedro Ribeiro: Lembro-me como se tivesse sido ontem. Porque se calhar até foi...: ia eu a caminho da extinta rádio do Correio da Manhã, para apresentar o Prok Der e Vier” quando vem um tipo e crava-me uma paulada na cabeça. Aqui mesmo, entre o etmóide e o esfenóide...

 

Gil: Epá mas isso é gravíssimo! E nem viu o tipo? Chegou a fazer queixa dele?

 

Pedro Ribeiro: Até gostava. Mas quando acordei já não me lembrava de nada...  Olhe, e já agora, o senhor quem é?

 

Gil: Sou um amigo, Pedro Ribeiro… Um amigo. Um amigo que tem de ir andando pois tem ali uma linda senhora à sua espera...

Vanda Miranda: Olá giraço… Queres companhia?

 

Gil: Ah, agora já me convidas? Ontem, nem um e-mail ou um telefonemazinho… Hoje já queres festa…

 

Vanda Miranda: Tolinho… Eu ontem nem te conhecia. E então, que me dizes?

Gil: Digo-te que não fazes o meu tipo. Deixa lá, obrigado…

Vanda Miranda: Como assim, não faço o teu tipo? Não gostas de vinho? E de frangos assados? Diz-me lá, ó jeitoso, nunca curtiste atrás de um pavilhão?

Gil: Sim. Sim... E sim!


Vanda Miranda: Então…? Como é que não sou o teu tipo?! Toda eu, sou o teu tipo! A menos que o teu tipo sejam tipos! Aí já não sou o teu tipo!

Gil: Ai Vanda, Vanda… O que te aconteceu… Uma mulher que tinha tudo para ser famosa, transformada numa acompanhante de luxo, meio apanhada da marmita…

Vanda Miranda: MAU! Acompanhante de luxo, não! Eu sou acompanhante mas só de passadeiras. Eu encontro-me com uma pessoa de um lado da passadeira e acompanho-a até ao outro lado. Mais nada! Não há cá badalhoquice... Confesso que pode até não ser um emprego bem pago, mas é respeitoso e ajuda-me a superar o trauma do acidente…

 

Gil: Hum… Trauma do acidente? Que acidente?!

Vanda Miranda: Ai agora já queres falar? Olha que esta, heim… Os homens são todos iguais. Primeiro não nos ligam “puto” e depois, quando já não estamos para aí voltadas é que nos procuram…. Todos iguais, é o que é! 

 

Gil: Sim, Vanda, tens razão. Desculpa… Conta lá, que acidente foi esse?

Vanda Miranda: Foi o Vasquinho, coitadito… Convidei-o para vir até a Moita, para ver a “Feira de Maio”... Mas ele não estava habituado a estas andanças... Jogou-se para a estrada, assim do nada, veio um boi desmandado lá da praça de Toiros e… e... Ai até custa, só de me lembrar… Se ao menos eu estivesse estado lá para o acompanhar a atravessar a estrada...

 

Gil: Espera lá? Mas qual Vasco? O Palmeirim? Mas a Vanda conhece o Vasco Palmeirim? Como? E ele morreu?!

Vanda Miranda: Cruzes, credo! Coitado do meu Palmeirim… Claro que não morreu. O boi acertou-lhe só num pé. Aquele dedo mindinho nunca mais será o mesmo... Agora ele está vivinho da silva! Hoje até vai cantar à Kleopatra, vê lá tu! Se quiseres eu acompanho-te até lá. Só pagas as passadeiras, os passeios são de borla. Que me dizes jeitoso?!

Gil: Hum… Kleopatra… Digo que… Tenho cenas... Não vai dar. Obrigadinho, sim?!...(IRRA!) 

 

«Olha... Eu acho que aquele tipo é o Nuno Markl... Que coincidência de o encontrar por aqui... Olá Nuno!»

 

Nuno Markl: Ai, não me bata, não me bata…

Gil: Ó senhor, calma! Claro que não lhe vou bater. Eu gostava era de lhe fazer umas perguntinhas.

Nuno Markl: Eu digo-lhe tudo mas não me bata, por favor!

 

Gil: Claro que não! Sossegue a franga, homem! Eu ia lá agora bater num tipo com um casaquinho branco todo janota como o seu?!


Nuno Markl: Gosta? Comprei de propósito para me vir encontrar com uma miúda da internet. Diz que se chama Ricardo... Deve-se ter enganado no nome, pobre coitada...

 

Gil: Ham?! Sim! Sim! Claro que é isso! Enganou-se de certeza... Força aí homem. Confiança e pensamento positivo! Isso é o que se quer. Então adeusinho...

Nuno Markl: Espere aí. Deixe-me só acabar… Tome! Isto é para si. Um desenho seu a dar-me autoconfiança! Você a partir de agora é o meu novo super-herói. Vou chamá-lo de: “O Sr. Confiançudo”! Que tal? Gosta?

 

Gil: Ah! Sim… Muito giro… Olhe, acho que vem ai a sua Ricardina, se calhar vou andando. Boa sorte!

 

(Passado alguns segundos...)

 

Nuno Markl: Socorro!! Acudammm! Alguém me ajude… Este meliante está-me a bater!! Socorro…

 

Gil: Ei! Ei! Senhor extremamente alto, com ar de mau, e com pau muito grande na mão, pare de bater ao meu amigo…

 

R.A.P.: Põe-te na fila, ó minorca, que assim que acabar de espancar o caixa de óculos  tu és a seguir. Até te digo mais, se quiseres vai adiantando serviço e começa já a dar-te “calduços” enquanto esvazias os bolsos.


Gil: Ah! Ah! Essa é boa… O senhor tem piada…


R.A.P.: É… Eu sou assim… Lá no bairro até me chamam "Ricardão o assaltante brincalhão". Sempre que passo eles começam logo: “Olha o Ricardo Araújo Pereira, o tipo que assalta na brincadeira!” ou então: “Olha o Caio, não sei se fuja se desmaio…”

 

Gil: Desmaie…

R.A.P.: Desmaio?! Desmaio se eu quiser, olha agora…

 

Nuno Markl: Eu acho que, o que aqui o meu amigo queria dizer era: “Olha o Caio, não sei se fuja se desmaie…”

R.A.P.: Não! Isso é estúpido... Até porque assim não rimava. Só por causa dessa vais apanhar mas umas quantas lambadas…

 

Gil: Bom… Eu estou a ver que estou a mais. Vocês estão aí entretidos os dois, aos pontapés, eu não quero atrapalhar. Continuação de uma boa Mixórdia de Chapadas e pontapés!


R.A.P.: AH! AH! Essa é boa… Mixórdia de Chapadas e pontapés! Isto há com cada um…

 

«Não conseguimos descobrir, ao certo, o que seria da malta da Comercial se a Rádio nunca tivesse existido. Mas creio que deu para perceber que estamos todos nós muito melhores graças a ela.»


Nota dos autores:
 Caros amigos, locutores, e um ou outro advogado que possa estar a ler isto... Isto foi só uma brincadeirinha, numa realidade paralela... Nada disto corresponde à realidade. Nem nós queríamos que assim fosse, ok? Vocês são fantásticos e nós gostamos muito de vocês. Nada de nos processarem, sim? Obrigadinho e até breve.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.