Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estapafúrdios do Quotidiano

O Estapafúrdios do Quotidiano foi dar uma palavrinha a Dijsselbloem!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 22.03.17

 

Nós aqui no Estapafúrdios do Quotidiano estamos indignados! Mais do que isso, estamos revoltados! Mais ainda, estamos piursos, possessos e agastados com as declarações que o Presidente do Eurogrupo prestou. Ora com que então os “Países do Sul gastam o dinheiro todo em álcool e mulheres”?! Ai sim? Então e os do Países do Norte?! E na Holanda não se gasta muito dinheiro em mulheres e álcool? É que nós temos a ideia que por aí se gasta muito dinheirinho nisso mesmo: mulheres álcool e outra coisa qualquer... Era o quê mesmo?! Ah! Isso... DROGA!

 

Pois é meus amigos... Este senhor não sabe o que diz. E foi por isso que o Estapafúrdios do Quotidiano decidiu enviar “alguém” para falar com este senhor. E porquê que o “alguém” está entre aspas? Porque o “alguém” devia ser o RIC, mas aquele tipo apesar daquele tamanho todo que ele tem é um mariquinhas do pior. Vai daí tivemos de recorrer ao plano B. Ora vejamos...

 

Ljubomir Stanisic (Sim, o Chef do Pesadelo na Cozinha trabalha para nós! Ao que parece esta vida de Chef da TV não é assim tão bem paga quanto isso.): Ora bom dia Sr. Dijsselbloem, VOCÊ É UM PORCO!


Dijsselbloem: Mau... Outro português indignado?! Já começo a ficar farto de vocês... Parecem uma praga.

 

Ljubomir Stanisic: Português é a senhora sua mãe! Ou o seu pai, tanto me faz! Eu sou Jugoslavo.

 

Dijsselbloem: Jugoslavo, português, tudo a mesma coisa. Vive no Sul da Europa não vive?! Então para mim não passa de um badameco que que só sabe gastar o dinheiro em álcool e mulheres!

 

Ljubomir Stanisic: Badameco?! Badameco?! Olhe, como diz o outro, BARDAMERDA para quem não é do SUL. Você tem é inveja... Queria boas praias, não era? Queria ter bons vinhos, não era? Queria mulheres descascadas, não era? Mas não tem... Tem frio, chuva, mulheres tapadas e zurrapas para beber! Aí a vida é tão triste que vocês têm de andar a fumar drogas para esquecerem a vida triste que levam... E mais! Eu sei de fonte segura que nem as vossas mulheres querem praticar o amor com vocês! A sua própria esposa disse-me que tem mais prazer com o selim da bicicleta enquanto vai de casa para o trabalho do que na cama consigo! Ah, pois é...

 

Dijsselbloem: Snif... Snif... Tem razão... Você tem razão... É tudo verdade! Snif... Snif... Aii o que é que eu vou fazer da minha vida. Você diga-me, diga-meeeee!

 

Ljubomir Stanisic: Digo! Mas antes de mais não é “você”. É, o “CHEF!”.

 

Dijsselbloem: Sim, Chef. Por favor, ajude-me Chef. Eu não consigo continuar assim.

 

Ljubomir Stanisic: Pois bem... Eu vou ajudá-lo. Não se preocupe. Antes de mais precisamos de mudar esse visual. Com essa cara ninguém quer olhar para si, quanto mais fazer amor consigo. Ora chegue-se lá aqui.

 

(neste preciso instante entra uma equipa de cabeleireiros, maquilhadoras, esteticistas, um alfaiate e um palhaço. «Porquê um palhaço?! Porque enquanto os outros trabalham é preciso algo para os entreter»)

 

Ljubomir Stanisic: Bom... O visual já está. Agora vamos ver os seus dotes. Diga-me coisas sexys.

 

Dijsselbloem: És linda que nem uma papoila saltitante. Os teus olhos verdes parecem duas Heinekens acabadas de sair do frigorífico. O teu corpo é tão apetitoso como uma batata acabadinha de fritar...

 

Ljubomir Stanisic: Tal como eu pensava... Um fiasco! Os teus elogios são uma merda! Tens tanto jeito a elogiar as mulheres como a fazer currículos! Ora aprende:

«Meu amor, chega-te a mim. Prometo que estarás mais segura nos meus braços do que a Anne Frank dentro do seu quarto secreto. ; Beija-me! Beija-me e verás que a minha língua te deixará mais alucinada do que qualquer substancia que consumas numa coffe shop!; Vem meu amor... deita-te aqui. Prometo montar-te melhor que um funcionário do IKEA!”

 

Dijsselbloem: Uau... Estou incrédulo! O Chef é formidável!

 

Ljubomir Stanisic: Viste... Isto é a diferença entre “um pouco de charme” e “estou-me a cagar”! Percebes agora?! Bom... Mas para que possas deixar de ser esse porco invejoso e passes a ser um senhor temos de mudar esse nome. Dijsselbloem não é nome de gente. Confesso que Ljubomir também não é lá grande coisa, mas Dijsselbloem nem dá para dizer como deve ser sem nos enganarmos. Dijsselbloem tem de morrer! A partir de hoje chamarte-ás somente Bloem. Vá exprimenta. Como te chamas?

 

Dijsselbloem: Bloem!

 

Ljubomir Stanisic: Como te chamas?

 

Dijsselbloem: Bloem!

 

Ljubomir Stanisic: Viste como até o teu nome está mais sexy? Só de o dizeres a tua mulher ficará louca. Agora vá, promete que nunca mais vais dar entrevistas a falar mal dos Países do Sul.

 

Dijsselbloem: Eu prometo! Obrigado Chef.

 

Ljubomir Stanisic: De nada... Eu estou cá para isso mesmo... Agora vá, tenho de ir embora. Ainda há muitos políticos que tenho de ajudar por esta Europa fora. Mas Bloem, presta bem atenção no que te vou dizer: não descuides do que te ensinei! Senão eu volto cá, e para além te comer a tua mulher ainda te passo a ferro com a minha motorizada. Adeusinho...

Dijsselbloem

 (Nota: Estimado leitor, se por ventura se aborreceu de ler este estapafúrdio até ao fim não perca este Domingo toda esta conversa ao vivo e a cores. Onde? Só na TVI!)

GIL