Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estapafúrdios do Quotidiano

Será Bolsonaro a reencarnação de Hitler?

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 23.10.18

O Brasil está em alvoroço. O país está a braços com as eleições que vão determinar quem será o próximo presidente a governar o país do samba. Após a primeira ronda, realizada a 7 de Outubro, ficou claro que a disputa até ao final será a dois – entre Fernando Haddad ou Jair Bolsonaro. Este último, foi o grande vencedor da primeira ronda. O que, de facto, está a deixar tremendamente preocupados grande parte dos brasileiros e até muitos outros países do mundo. Tudo porque, Bolsonaro, é visto como um político polémico defensor das políticas assustadoras da extrema-direita. O Estapafúrdios do Quotidiano conseguiu chegar à fala com Jair Bolsonaro, para tentar perceber quais são, afinal, as suas ideias para governar o país...


RIC: Olá. Primeiro que tudo, quero agradecer-lhe o facto de conceder esta entrevista ao Estapafúrdios do Quotidiano. Imagino que deve ter, nesta fase, uma agenda muito preenchida. Prometo ser bastante breve.

 

Bolsonaro: E aí, cara. Não tem problema, não. Se não for breve, eu próprio tratarei que assim seja...

 

RIC: Ai sim? De que forma?

 

Bolsonaro: Não se assuste, rapaz. Eu estou de brincadeira com você. Chuta aí, moço. O que é que você quer saber?

 

RIC: Bom, ok, vou avançar então... O mundo está bastante atento ao que se passa nestas eleições no Brasil. Especialmente nós, os portugueses, por considerarmos o Brasil como uma espécie de país irmão. Diga-me, senhor Bolsonaro, quais são afinal os seus planos para o Brasil?

 

Bolsonaro: Bom, cara, isso é fácil de responder, não é? Eu quero o melhor para o Brasil. Quando for eleito presidente, eu vou transformar o Brasil num país puro. Num país seguro. Num país em que qualquer brasileiro se irá orgulhar de ter nascido. De viver. É bastante simples. Eu vou fazer com que o Brasil seja o melhor país do mundo, é claro.

 

RIC: Bom, mas isso é o que todos os políticos dizem. Chama-se a isso demagogia. Mas que medidas irá tomar para conseguir concretizar essas ideias? É que, vamos lá a ver, o que se fala é que o senhor é um fervoroso adepto dos ideais que a extrema-direita defende. Abordando mais a fundo esta questão, o mundo está com um pouco de receio de o senhor ser eleito o Presidente do Brasil.

 

Bolsonaro: É cara, isso é tudo baboseira, né? O mundo não necessita de ter medo, não. Aliás, não me interessa sequer o que o mundo pensa. Só o Brasil importa.

 

RIC: Ok, ok... Então deixe-me perguntar isto de outra forma. O que vai fazer para reduzir a criminalidade no Brasil? Especialmente nas favelas?

 

Bolsonaro: Pó, cara. Eu vou matar eles.

 

RIC: Matar? Eles? Como assim, matar? Matar, de matar mesmo, tirar a vida, ou isso é apenas uma expressão brasileira que vocês usam para erradicar algo que está mal ou que não gostam?

 

Bolsonaro: Entenda como quiser, moço. Eu vou matar eles.

 

RIC: Ok, ok... Qual é a sua ideia para resolver a questão complicada das prisões brasileiras estarem completamente sobrelotadas?

 

Bolsonaro: Ué, novamente uma pergunta básica. Eu vou matar eles.

 

RIC: Começo a desconfiar o que quer dizer mesmo com o "matar eles"... Dizem que o senhor não gosta muito de negros. É verdade?

 

Bolsonaro: É. Não aprecio muito não, cara.

 

RIC: Então a medida para resolver isso é... espere, deixe-me adivinhar: matar eles?

 

Bolsonaro: É isso aí, meu chapa. Esses pé rapado são o cancro do Brasil. É urgente, e necessário, erradicar essa escumalha do nosso país. Eu vou realizar a maior "faxina" que o Brasil já viu!

 

RIC: "Faxina" igual a "matar eles"?

 

Bolsonaro: Entenda como quiser, garoto. Eu vou limpar todo o mundo que não faz bem ao Brasil.

 

RIC: Ok, ok... A ver se eu percebo isto de uma vez por todas. "Faxina" igual a "limpar" que, por sua vez, é igual a "matar eles", certo?

 

Bolsonaro: É isso aí, caraca!

 

RIC: Então e como é que vai realizar isso? Como é que, até me custa dizer isto uma vez mais, vai "matar eles"?

 

Bolsonaro: Moço, você ainda não entendeu porque não quis entender, mas eu mostro pra você. Vem comigo. Vem, que eu vou-te mostrar uma sala que mandei construir especialmente para a minha "faxina" no Brasil. Eu lhe dei o nome perfeito...

 

RIC: Hum... Que nome é esse?

 

Bolsonaro: Se irá chamar "Câmara de Gás"!

 

RIC: ADEUS! ATÉ À PRÓXIMA! BOA SORTE PARA AS ELEIÇÕES! OBRIGADO PELA ENTREVISTA! FUI!

 

Bolsonaro: Espera aí, moço... Eu tenho tanto ainda para lhe contar... Oh, já foi indo ele... Babaca. Este se voltar cá, vai ser incluído na minha "faxina"... Vou até já apontar no bloco de notas do meu iPhone...

 

image.jpeg

RIC

O Estapafúrdios do Quotidiano entrevista Marisa Matias!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 19.01.16

Depois da exaustiva entrevista a Vitorino Silva, mais conhecido por “Tino de Rans”, chegou a vez de entrevistarmos outro candidato à Presidência da República. A eurodeputada pelo Bloco de Esquerda, Marisa Matias, foi a candidata escolhida para a entrevista de hoje. Marisa tem sido alvo de inúmeras criticas nas redes sociais por ter, recentemente, proferido declarações insultuosas — ou terá sido por falar a verdade? Hum... — contra o Sporting Clube de Portugal, durante uma entrevista ao jornal digital “Observador”. Ora fiquem a saber a resposta oficial de Marisa Matias a este assunto em particular, assim como quais são as suas principais ideias para o país, no caso de ser eleita Presidente da República...

 

 

Estapafúrdios: Comé que é, mana Marisa Matias. Tudo em cima? Tudo altamente? Tudo a bombar forte e feio? Gira lá isso...

 

Marisa: Bom dia... Antes de começarmos esta entrevista, posso perguntar-vos por que raio estão a falar assim comigo?

 

Estapafúrdios: Então... mas não é assim que se tem de falar com vocês?

 

Marisa: Como vocês, quem? A que grupo social é que vocês se estão a referir, ou melhor, a que estão a incluir-me?

 

Estapafúrdios: Hã? Grupo social? ‘Qué isso, mana? Gira mas é lá isso...

 

Marisa: Mas giro o quê?! Vocês são malucos? Olhem uma coisa: eu sou uma candidata à Presidência da República! E, para além disso, ainda sou uma eurodeputada! Eu não tenho tempo para brincadeiras de mau-gosto. Por isso das duas, uma; ou vocês falam como deve ser, ou então eu ponho-me a andar daqui para fora!

 

Estapafúrdios: Calma aí, dread! Estamos aqui só a socializar, topas?

 

Marisa: Pá, vocês andaram a fumar drogas, ou quê? Lamento, mas eu não tenho tempo para isto!

 

Estapafúrdios: Calma, mana... Bora lá começar a entrevista? Alinhas?

 

Marisa: Só alinho depois de me explicarem o porquê de estarem a falar comigo dessa forma tão estranha!

 

Estapafúrdios: Então, mas não é normal que vocês falem assim entre vocês lá no Bloco de Esquerda?

 

Marisa: Oh raios, mas assim como, caramba?!

 

Estapafúrdios: Assim como se estivessem a fumar umas ganzas e tal...

 

Marisa: Mas que absurdo vem a ser esse?! Mas quais ganzas, quais quê? Mas estão doidos ou quê?

 

Estapafúrdios: Mas... Mas... não é o Bloco de Esquerda que quer legalizar as drogas leves...?

 

Marisa: Ah... somos sim senhor... Bom, mas isso agora não interessa para nada. Eu sou candidata à Presidência da República e é só nisso que estou focada.

 

Estapafúrdios: Pronto, tudo bem. Vamos lá então de uma vez por todas arrancar com esta entrevista.

 

Marisa: Finalmente...

 

Estapafúrdios: E depois vamos os três fumar umas cenas e tal... Bom, shôra candidata Marisa Matias, pode dizer-nos quais sãos as principais medidas que irá colocar em prática, no caso de vir a ser Presidente da República?

 

Marisa: Ah, estava a ver que não me perguntavam! Sabem, eu tenho um sonho. Um sonho muito antigo e que nasceu no seio do Bloco de Esquerda, durante uma reunião em que fumámos umas ganz... Bom, o sonho é, no caso de vir a ser Presidente da República, tentar transformar os Jardins de Belém numa enorme plantação de Cannabis!

 

Estapafúrdios: Isso é que é falar! Já tem o nosso voto! Mas, espere: essa plantação ia ser gratuita e de fácil acesso para todos os portugueses?

 

Marisa: Sim, claro. Mas atenção, que a plantação ia servir para produzir cannabis para ser usado apenas para fins medicinais... Nada de maluqueiras.

 

Estapafúrdios: Óóóóóó... Sendo assim acho que já vamos pensar duas vezes sobre aquela questão de votar em si... Bom, mas adiante. Numa entrevista recente, a Marisa Matias disse que era uma “candidata perigosa”. Estava a brincar ou apenas sob o efeito de drogas leves?

 

Marisa: Não estava a brincar, nem estava sob o efeito de droga alguma. Eu sou “perigosa” sim senhor. Devido a ser eurodeputada, eu tenho alguns conhecimentos perigosos...

 

Estapafúrdios: Tais como...?

 

Marisa: Por exemplo, eu sou grande amiga tanto do Snoop Dog, como do El Chapo. Como vocês devem saber, o Snoop lançou recentemente a sua própria marca de cannabis, e eu fui uma das pessoas que o ajudou a ir para a frente com a ideia. E deixem-me que vos diga que se trata de material de qualidade. E se não acreditam, pois podem ir perguntar ao Francisco Louçã e à Catarina Martins, que eles também experimentaram e podem confirmar...

 

Estapafúrdios: Então e o El Chapo?

 

Marisa: O El Chapo é que fornece a matéria-prima para o Snoop depois transformar na sua própria marca de cannabis. E fui eu que, como eurodeputada, os coloquei a trabalharem em conjunto. Eles devem-me favores...

 

Estapafúrdios: Ah, ok... Bom, sendo que a Marisa parece ser boa a contar piadas em entrevistas — como foi o caso da piada sobre o Sporting ao Observador —, será que podia contar aqui uma mais recente para nós terminarmos esta entrevista em beleza?

 

Marisa: Uma piada? Pois bem. Quando saí de casa hoje para vir ao vosso encontro, eu pensava que vinha para uma entrevista...

 

original

 

Amanhã, se não existir uma praga de gafanhotos a invadir Portugal, teremos uma entrevista com o candidato Marcelo Rebelo de Sousa...

O Estapafúrdios do Quotidiano entrevista Tino de Rans!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 18.01.16

Agora que estamos na derradeira recta final das eleições presidenciais, o Estapafúrdios do Quotidiano decidiu abandonar o humor para o bem do país. Ou seja, decidimos que devíamos dar a nossa contribuição ao país, e que melhor forma de o fazer do que nos aliarmos às presidenciais? Portugal atravessa uma fase conturbada e todos nós devemos fazer algo para ajudar os Portugueses. Então, arregaçámos as mangas e decidimos ir ao encontro de alguns dos candidatos presidenciais para tentar saber o que, afinal, têm eles para propor aos portugueses para melhorar este pequeno, mas grandioso paraíso à beira-mar... que é a Península Ibérica... perdão, que é Portugal... Vitorino Silva — mais conhecido por “Tino de Rans” — foi o primeiro candidato a aceitar conceder-nos uma pequena entrevista. Ora vejamos quais são os planos do candidato Vitorino Silva para o futuro de Portugal.

 

E. Quotidiano: Ora boa tarde, shôr Tino de Rans! Perdão, podemos tratá-lo por Tino de Rans? Ou prefere Vitorino Silva?

 

Vitorino: Oh meus amigos, é como vós quiserdes. Se bem que é mais respeitoso para com os portugueses e, essencialmente, para com o país, que me tratem pelo meu nome e não pelo nome que uns certos e determinados energúmenos me apelidaram e que pegou de estaca, devido à aceitação por parte da comunicação social de que o nome Tino de Rans era um nome que...

 

E. Quotidiano: Pronto, pronto... Ficamos por Vitorino Silva!

 

Vitorino: Não, eu prefiro Tino de Rans.

 

E. Quotidiano: Ok, é como o shôr Tino de Rans quiser. Bom, primeiro que tudo queremos agradecer-lhe o facto de ter aceite facultar-nos esta entrevista. Ficámos muito sensibilizados por tal e...

 

Tino de Rans: Ora essa, meus amigos! Vós sois do povo!

 

E. Quotidiano: Ai somos...?

 

Tino de Rans: Mas é claro que sim! Este blogue não se chama Estapafúrdios do Quotidiano?

 

E. Quotidiano: Chama-se, sim senhor...

 

Tino de Rans: Então e vós ganhais alguma coisa com este blogue?

 

E. Quotidiano: Eh pá, nem por isso...

 

Tino de Rans: Então e quem é que leva uma vida inteira a esfolar-se a trabalhar, para depois não ganhar nada ou para ver os “tubarões” que estão no poleiro levar-lhes tudo nos impostos, não é o povo?

 

E. Quotidiano: Eh pá, diz que sim...

 

Tino de Rans: Então vós sois do povo!

 

E. Quotidiano: Ora pois somos!

 

Tino de Rans: VIVA O POVO!

 

E. Quotidiano: VIVA!

 

Tino de Rans: VIVA O ESTAPAFÚRDIOS DO QUOTIDIANO!

 

E. Quotidiano: VIVA!

 

Tino de Rans: VIVA O PÃO COM MANTEIGA!

 

E. Quotidiano: VI... Hum? Pão com manteiga?

 

Tino de Rans: Sim, se há coisa melhor que o povo, essa coisa é o “pão, pão, pão com manteiga... é tão bom, bom, bom!”...

 

E. Quotidiano: Ah, está bem... Bom, vamos a assuntos sérios. O que o levou a candidatar-se à Presidência da República?

 

Tino de Rans: Obviamente, o povo! Eu sou o candidato do povo! O povo é que me motivou a candidatar-me à Presidência da República. Porque já dizia o grande Zeca Afonso: “O povo é quem mais coordena!”

 

E. Quotidiano: “Ordena”...

 

Tino de Rans: Hã?!

 

E. Quotidiano: “O povo é quem mais ordena”, era o que o Zeca Afonso dizia... Mas adiante: qual é, para si, a maior riqueza de Portugal e o que pensa fazer para melhorar o país?

 

Tino de Rans: A calçada! A Calçada Portuguesa é a maior riqueza do país! E eu vou fazer com que o país volte a dar importância ao que de melhor se faz por cá, ou seja, aos grandes calceteiros que o país tem, e que são os melhores não só da Península Ibérica, mas sim do mundo inteiro!

 

E. Quotidiano: A Calçada Portuguesa...?

 

Tino de Rans: Sim! Vós estais a menosprezar os grandes benefícios da Calçada Portuguesa! Ficais a saber que a Calçada Portuguesa é do melhor que há para curar doenças! A Calçada Portuguesa é do melhor que há para alegrar as pessoas, neste caso, o POVO! VIVA O POVO!

 

E. Quotidiano: Viva, viva... Então e como pensa valorizar essa grande riqueza do país, que é a Calçada Portuguesa?

 

Tino de Rans: Muito simples, meus caros amigos. Eu, se for eleito Presidente da República, vou calcetar Portugal inteiro! Primeiro começo pelos jardins. Tudo o que for relva passa a ser calçada! Depois passo para os campos de futebol, que em vez de relva irão passar a ter pedras da calçada. Vão ser criadas disciplinas sobre a Calçada Portuguesa nas escolas para que os petizes possam aprender desde pequenitos como se deve calcetar uma rua, assim como a importância que tem para o país, essa enorme riqueza que é a Calçada Portuguesa!

 

E. Quotidiano: Mas... será impressão nossa, ou o shôr Tino de Rans quer calcetar o país inteiro?

 

Tino de Rans: Tratem-me por Vitorino Silva, olhem o respeito se faz favor, que eu sou um candidato à Presidência da República. Sim, eu vou calcetar o país inteiro! Tudo em prol do povo, que irá andar muito mais feliz por viver num país que dá valor àquilo que tem de melhor, ou seja, a Calçada Portuguesa. Porque eu, melhor do que ninguém, sei bem o que é trabalhar de gatas o dia inteiro e pôr Betadine nos joelhos ao final do dia, e sei bem a alegria que isso transmite às pessoas que me rodeiam, porque elas estão sempre a rir de mim. Perdão, para mim...

 

E. Quotidiano: Ah... Pode dizer-se então que o shôr Vitorino Silva é o Fred Flintstone do século XXI?

 

Tino de Rans: Tratem-me por Tino de Rans, por favor... Estamos entre amigos. Sim, eu se for eleito, quero que me tratem por “Tino Flintstone, o Calceteiro Presidencial”!

 

E. Quotidiano: Ah, está bom... Pronto, então muito obrigado por esta entrevista e boa sorte para dia 24!

 

Tino de Rans: Esperem... Então e o combinado?

 

E. Quotidiano: Qual combinado? Ah, aquele de que o Tino de Rans podia calcetar alguma coisa do Estapafúrdios do Quotidiano em troca desta entrevista? Então mas nós somos um blogue... Não há nada para calcetar aqui...

 

Tino de Rans: Quem decide isso sou eu! A vossa sorte é que eu ando sempre munido de um martelo de calceteiro e uma ou duas pedras da calçada. Ora deixem cá... Hum... Ora um pouco para aqui... e outro para ali...

 

E. Quotidiano: Ei! O que pensa que está a fazer! Isso são os nossos pés! Ei! Isso dói! PORRA QUE ISSO DÓI QUE SE FARTA!

 

Tino de Rans: Vós fazeis uma bela dupla, e assim com os pés calcetados um ao outro pode-se ter a certeza de que nunca se vão separar... VIVA O ESTAPAFÚRDIOS DO QUOTIDIANO!

 

E. Quotidiano: Ai, VIVA! Ai, ai, VIVA!

 

Tino de Rans: VIVA O POVO!

 

E. Quotidiano: Ai...VIVA!

 

Tino de Rans: VIVA O PÃO COM MANTEIGA!

 

E. Quotidiano: VI... Pá, vai à merda!

 

s320x240 

 

Esta foi a entrevista possível com o calceteiro mais famoso de Portugal. Amanhã se não chover, teremos a entrevista com a candidata presidencial Marisa Matias...