Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estapafúrdios do Quotidiano

O Balaj(io) certeiro, que tirou o Paulo Bento do poleiro!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 12.09.14

Ora viva!

Hoje é 6ª feira, não chove, e Paulo Bento demitiu-se ontem. Só coisas boas, portanto. O Estapafúrdios do Quotidiano não podia deixar passar esta notícia em branco e, por isso, decidiu enviar um investigador para falar com o ex Seleccionador Nacional.

Ora vejamos o que ele apurou…

 

 

Rui Santos: Ora bom dia, Sô Paulo Bento.

 

Paulo: Aaaa… Bom dia! Olhe, Aaaa, eu parece que o conheço...

 

Rui Santos: A mim?! Não, não! Quer dizer… Talvez. Eu sou um investigador do Estapafúrdios do Quotidiano. Deve ser por isso…

 

Paulo: Aaaa… Está bem! É capaz. Eu gosto muito desses malandrecos. Aaaa... Estive quase para seleccionar um deles: o RIC. Aaaa. Mas ele lesiona-se muito facilmente.

 

Rui Santos: Ah! Então o Paulo Bento não costuma escolher jogadores que se lesionem com facilidade?! Está certo… Ninguém diria.

 

Paulo: Aaaa… O sr. está a querer insinuar alguma, Aaaa... coisa?!

 

Rui Santos: Não, não. Longe de mim. Então mas diga-me lá: o Sô Paulo despediu-se ou foi demitido?

 

Paulo: Aaaa… Eu, Aaaaa. Pois, eu, Aaaaa… Foi um acordo. Foi um acordo feito, com tranquilidade!

 

Rui Santos: Exacto, um acordo! Até porque depois do jogo contra a Albânia, não havia Português que não estivesse de acordo… Ah! Ah! Ah!

 

Paulo: Como assim?! Aaaa... Huuummm... Não percebi.

 

Rui Santos: Nada, nada. Digamos apenas que foi a Albânia que lhe deu o Balaj(io) certeiro, para o tirar do poleiro.

 

Paulo: Aaaa… Não estou a perceber…

 

Rui Santos: Esqueça lá isso Sô Paulo. Então e diga-me: e agora? Férias?

 

Paulo: Aaaa… Eu não tenho tempo para férias. Vou começar a treinar já para a semana.

 

Rui Santos: Ah, que bom (ou não)! Então e quem serão os ‘sortudos’? O Braga? O Estoril? Algum clube estrangeiro?

 

Paulo: Aaaa… São os alunos da escola primária da Cedofeita. Diz que lá é estão os bons jogadores! Aaaa… Vou pegar nos miúdos, entre 5 e 7 anos, e fazer deles os próximos Ronaldos!

 

Rui Santos: Então?! Vai proibi-los de ir às aulas para eles ficarem burros que nem uma porta?!

 

Paulo: Aaaa… Não entendi.

 

Rui Santos: Nada Sô Paulo, nada. Mas diga-me: como é que está a pensar transformar tantos miúdos, em jogadores como o Ronaldo? Olhe que não é fácil…

 

Paulo: Aaaa… Então, não é?! Basta agarrar num miúdo, ensinar-lhe 3 ou 4 truques com uma bola e convencer o Jorge Mendes a assinar contrato com ele.

 

Rui Santos: Pois, mas isso não deve ser lá muito fácil.

 

Paulo: Aaaa… pois. É capaz de ter razão. Mas com… tranquilidade, eles aprendem os truques. Se consegui ensinar o Postiga e o Hugo Almeida a marcarem golos também consigo ensinar crianças a jogar a bola...

 

Rui Santos: OK. Mas não era isso que eu estava a falar. Era mesmo a parte do contrato…

 

Paulo: AHH! Ó meu amigo, com a quantidade de favores que eu fiz. ao longo destes anos, ao Jorge Mendes, até o GIL eu punha a jogar na Selecção Nacional. E como ponta de lança!

 

Rui Santos: IRRA!! Vai lá vai...

 

Paulo: Aaaa... Vou?! Vou onde?! É para ir?

 

Rui Santos: É paulo, é! Vai e nunca mais voltes!

 

E esta é a prova que nem só desgraças acontecem a 11 de Setembro!

 

GIL

O Estapafúrdios do Quotidiano Pergunta - à Selecção Nacional!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 17.06.14

Ora sejam muito bem vindos a mais um fantástico estapafúrdio! O nosso estapafúrdio de hoje será fenomenal, será fantástico, será bombástico, será vencedor, será tudo o que a selecção Nacional não foi ontem! Isso mesmo... Será um estapafúrdio feito de propósito para o animar. Um estapafúrdio capaz de contrariar as ideias homicidas que pairam na sua mente... (sim, nós aqui conseguimos ver o que vai na mente dos nossos leitores. Nós temos poderes.... Huuuu)

 

Hoje trazemos até si, mais uma vez, a rubrica: "O Estapafúrdios do Quotidiano Pergunta". E quem são os nossos convidados de hoje?! Isso mesmo a nossa Selecção Nacional. Ora vamos lá a isso...

 

GIL: Bom dia! Quer dizer... Boa tarde! Ou será boa noite?! Não interessa... Olá Sr. Paulo Bento. Como vai?

 

P.B: Aaaaa... Bom dia. Eu, aaaa... Estou mal. Como é que eu poderia estar bem?! Aaaaa...

 

GIL: Pois, realmente percebe-se. Com aquela derrota pesada, que a Selecção sofreu ontem, é normal que as coisas por aí não estejam nada bem!

 

P.B.: Pois! Aaaa... Mas, o que interessa, não é o ontem! Aaaa... É o hoje! Aaaa.... E o amanhã! Aaaa.... E o Domingo! É isso que interessa... Jogo a jogo...

 

GIL: Isso mesmo! Assim é que é falar! Pensamento positivo. Ainda falta muito!

 

P.B.: É claro! Aaaa... Não adianta falar do passado. Agora temos é que jogar com tranquilidade. Podíamos ter feito melhor.... Mas não fizemos! Aaaaa, podíamos ter agido com tranquilidade, mas não o fizemos. Aaaa... O Pepe podia não ter dado aquela cabeçada, mas deu! Aaaa...

 

GIL: Pois, claro. Aaaa... Tem toda a razão. Bom, agora tenho de ir andando, porque estou a ficar cheio de sono. Deve ser do fuso horário...

 

P.B.: Aaaa... Do fuso horário?! Mas você não está, aaaa... em Portugal?

 

GIL: Pois, sim, claro! Depois falamos... Pst, Pepe. Ó Pepe... Então, pá?! O que se passou lá no campo?

 

Pepe: Oi?

 

GIL: Não é "Oi" Pepe, é diga! Já falamos sobre isso...

 

Pepe: Oi?! Mas quem é você cara?

 

GIL: Ó Pepe... Sou eu, o Gil, do Estapafúrdios do Quotidiano. 

 

Pepe: Giu? Não te conheço, não, cara! Dá o fora daqui senão ti dou uma cabeçada...

 

GIL: Pois... O problema é mesmo esse Pepe. Tens de parar com essa mania... Tu não és o Zidane. Porque raio é que agora deste em andar por aí, a dar cabeçadas à malta?

 

Pepe: Pô cara. Se você tá falando de ontem, eu não tava dando cabeçada nele, não! É que o cara caiu no chão e me disse que eu tinha feito "dó-dói" nele. Vai daí eu quis dar um beijinho pra passar...

 

GIL: Ah, foi só isso... OK! E eu que pensava que tu estavas era a mostrar o teu penteado novo ao Muller. Assim sendo acho que devias ter tentado explicar ao árbitro o que estavas a tentar fazer...

 

Pepe: Pô cara e eu expliquei. O problema foi mesmo esse... É que o tipo tem um fraquinho pelo Muller e, quando ele me viu aproximando, deu uma baita ciumeira bôba nele... 

 

GIL: AH, ok! Está tudo explicado... Então adeusinho! Ó Fabíca... Posso fazer-te umas perguntinhas?!

 

Fábio: Fabíca?! Mau?! Mas nós conhecemo-nos?

 

GIL: Peço desculpa. É que eu sou um grande fã e entusiasmei-me... Que grande azar, pá... Aleijares-te logo no primeiro jogo.

 

Fábio: Opá não me diga nada... Foi mesmo um grande galo. Mas o pior nem foi ontem. O pior vai ser agora...

 

GIL: Sim, percebo. Agora não vais poder jogar o próximo jogo. É realmente muito chato.

 

Fábio: Sim, isso é aborrecido. Mas o maior problema nem é esse.

 

GIL: Ai não? Então?! Não me digas que não vais conseguir recuperar da lesão?! Foi assim tão grave?

 

Fábio: Não, pá! O pior é que o raio do Pepe agora não me larga. Cada vez que alguém se lesiona, o tipo fica maluco e quer dar beijinhos nos 'dói-dóis' da malta, pá... É uma irritação!

 

GIL: A sério?! Então mas não lhe disseste que a tua lesão é na virilha?! Assim talvez ele mudasse de ideias.

 

Fábio: Disse! Então não disse?! Sabe o que é que ele me respondeu? "Pô cara, você é meu colega de time, é Tuga como eu, é sangue do meu sangue, deixa isso prá lá e vem aqui..."

 

GIL: Epá... Nunca pensei! E eu que achava que o Pepe era um tipo macho... Vai lá vai... Olha, por falar em lesionados, parece-me que está ali o Hugo Almeida. Ó Hugo, Hugo?! 

 

Hugo: Aiiiii, aiiiii, aiiiii...

 

GIL: Epá, isso está mesmo mal. Isso foi tudo da lesão de ontem?

 

Hugo: Aiiiii, aiiii, aiiii... Dói, dói, dói...

 

GIL: Ó enfermeira! Dê lá uma injecção ao rapaz a ver se ele tem menos dores. 

 

Hugo: Pshiuuu... Cala-te pá! Eu não quero injecção nenhuma. Aiii, aiiii...

 

GIL: Ó Hugo, escusas de armar-te em 'fortalhaço'. Se tens dores, não há problema nenhum em levares uma injecção. É para ajudar a pores-te bom. Não queres recuperar rápido?

 

Hugo: Qual recuperar, qual carapuças, pá?! Eu nem aleijado estou. Isto é tudo treta... Eu estou é farto de ser chamado para a Selecção. O raio do Paulo Bento embirrou comigo e está sempre a chamar-me para jogar. Eu já jogo mal, de propósito, a ver se ele desiste mas mesmo assim o raça do gajo insiste em colocar-me em campo! Conclusão: achei que a melhor maneira para me safar de jogar, durante o resto do Mundial, era fingir uma lesão...

 

GIL: AHHH! Está tudo explicado... Seu espertalhão!

 

Hugo: Pois, mas se soubesse o que sei hoje não o tinha feito.

 

GIL: Acredito... Ficas-te chateado com o 4 a 0, não foi? Eu também, deixa lá!

 

Hugo: Qual quê, pá?! O 4-0 foi o menor dos meus problemas. O que se passa é que agora o Pepe não me larga. Leva os dias atrás de mim a pedir para dar beijinho no meu 'dói-dói'. Irra!!

 

GIL: Olha... Sabes o que te digo? Isso agora quer é 'tranquilidade... Aaaa... E beijinhos no dói-dói, para passar!

 

 

GIL

Rui Patrício tem nega a matemática!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 29.05.14

Olá. Só porque sim, vou já avançar para o estapafúrdio de hoje. Não tenho uma explicação válida para o fazer, mas hoje é assim e assunto encerrado. Eu sei que os leitores adoram um pouco de "divagação estapafúrdia", mas hoje não estou para aí virado. Deve ser desta maldita micose de que padeço, que me está a tirar do sério… UPS! Já revelei demais! Bom, sigamos para o estapafúrdio… 

 

A nossa querida e tão acarinhada selecção nacional de futebol está a estagiar em Óbidos. Normalmente, todos os dias é escolhido um dos jogadores para falar à impressa. Ontem, o escolhido foi Rui Patrício, o guarda-redes do Sporting Clube de Portugal. Ora, tudo normal, não fosse o guarda-redes português ter proferido a frase "Não percebo de matemática…", quando confrontado com o estudo que aponta apenas 1% de possibilidades a Portugal de ser campeão do mundo. Esta simples e honesta frase provocou uma espécie de celeuma nas redes sociais, com muitos cibernautas a aproveitarem a "deixa" para gozar com o guarda-redes português. Ora, o Estapafúrdios do Quotidiano quis ajudar Rui Patrício, e ofereceu-se para dar-lhe umas aulas de matemática para que, da próxima vez, ele não tenha de passar vergonhas e ser alvo de chacota em praça pública. 

 

Deixamos aqui um excerto da aula que "tentámos" dar ao guarda-redes da selecção nacional:

 

 

RIC: Olá Rui. Então e que tal? Como vão essas defesas?! 

 

Patrício: Olá. Vão muito bem. 

 

RIC: Ai, sim? Então, e tens feito muitas defesas? 

 

Patrício: Ya, tenho feito bués. 

 

RIC: Ai, sim? Então, e quantas…? Sabes dizer-me quantas defesas tens feito por treino? 

 

Patrício: Eh pá, não sei bem… Sabes, é que eu não sou lá muito bom a matemática… Contas de multiplicar não são o meu forte. 

 

RIC: De multiplicar? Não, pá! Não queres antes dizer "contas de somar"? É que estamos aqui a falar do somatório de defesas efectuadas. Logo, é uma questão de somares as defesas que tens feito em cada treino, para chegares ao resultado final. 

 

Patrício: Hã?! 

 

RIC: Sim, Rui. Basta somares as defesas… Então, quantas defesas tens feito, em média, por treino? 

 

Patrício: Em média? O que é isso?! Então, mas não estávamos a falar de multiplicar as defesas que faço por treino, para depois descobrirmos qual é a quantidade de defesas que faço?! 

 

RIC: Hã?! 

 

Patrício: Pá, tenho feito bués defesas. 

 

RIC: Ó Rui, está bem. Mas quantas defesas são essas "bués" que tens feito? 

 

Patrício: Pá, sei lá! São algumas… Mas, como já te disse, eu não sou bom a matemática e não sei como multiplicar as defesas que fiz, para depois as somar e chegar ao resultado final! 

 

RIC: Eish! Eh pá, menos… Menos, ó Rui… Isso vai para aí uma confusão de números na tua cachola, homem… Vai lá, vai… 

 

Patrício: Ah, menos? Menos é subtrair, certo? Então tenho de multiplicar as defesas pela subtração dos remates, para depois chegar à somatória e, por conseguinte, chegar à média das defesas que faço por treino? É isso?! 

 

RIC: Não, pá! Porra! És mesmo terrível a matemática! És um verdadeiro zero à esquerda, no que toca a números! 

 

Patrício: Um zero à esquerda? Como é que se faz isso? Qual é a conta que se faz? É de dividir? Estou farto de ouvir essa expressão, mas nunca sei como é que se faz a conta. 

 

RIC: Não é conta nenhuma, pá! É apenas uma expressão! Pá, conta com os dedos as defesas que fazes por treino, para chegares ao número exacto de quantas fazes… 

 

Patrício: Pelos dedos? Esquece, isso não resulta. É uma conta impossível de fazer! 

 

RIC: Então porquê, Rui? 

 

Patrício: Dah! Porque tenho as mãos ocupadas a defender os remates, como é que queres que me meta a contar as defesas pelos dedos?! 

 

RIC: Não precisas de realmente contar pelos dedos, pá! Basta imaginares os dedos, um a um, para ires somando à medida que defendes. 

 

Patrício: Pá, esquece! Isto é difícil demais para mim! Não atino mesmo com isto das contas e da matemática! 

 

RIC: Pá, calma. Mas é claro que atinas! Olha, queres ver como atinas? Faz lá esta conta de somar. Quanto é 1+1?! É bastante simples.

 

Patrício: Hum… Ora… 1+1… Posso contar pelos dedos? 

 

RIC: Sim, Rui… Podes contar pelos dedos… Na verdade, nem vais precisar de muitos dedos para fazer esta simples conta… 

 

Patrício: Hum… Não é lá muito fácil, não…

 

RIC: Hã?! 

 

Patrício: JÁ SEI! 

 

RIC: Ah, então? 

 

Patrício: Então, 1+1 dá… 345?! Certo?! Afinal até sei algumas coisinhas de matemática… 

 

RIC: Ó Rui… 

 

Patrício: ´Quié?! 

 

RIC: E sabes quantos "frangos" é que já deste pela selecção?! 

 

Patrício: Eh pá, como é que faço essa conta? Agora é que é de dividir, não é? 

 

RIC: Pá, esquece! Não quero que o teu cérebro se desintegre antes do Mundial! Adeus e bons treinos! 

 

Patrício: Tchau, pá! Mas, fiz bem a conta? 1+1 são 345?! Certo? 

 

RIC: Sim, sim… É isso, é… 

 

Patrício: Fixe! Afinal não sou mesmo assim tão mau a matemática… 

 

(1+1 = 345, certo...?)

RIC