Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estapafúrdios do Quotidiano

Uma "prenda" de Natal!

Avatar do autor estapafurdiosdoquotidiano, 11.12.14

Olá meus amiguinhos. Já compraram, todos, as prendinhas de Natal?! Sim?! Então e para nós? O que nos compraram? Nada?!?! Como nada?! Mas que raio de leitores são vocês, que nem sequer são capazes de comprar uma prenda, para os vossos escritores favoritos? Hum...?!? Hum...?! Ai já fazem mais do que a vossa obrigação em vir cá todos os dias, ler as parvoíces que nós escrevemos?! Ai, sim?! Ai, sim...?! Pois, se calhar têm razão. Peço desculpa. Obrigadinho por nos virem visitar. É muito fofinho da vossa parte. (No entanto, se quiserem oferecer-nos uma prendinha, aceitamos todo o tipo de equipamentos electrónicos. Bom... Quer dizer... Todo o tipo, não! Vibradores dispensamos. Pelo menos eu. Quanto ao RIC já não sei...)

Quem também andou a dar prendas foi a polícia de Lowell, uma pequena cidade no estado de Michigan. E sabe quem é que quase ganhou uma dessas prendas? Isso mesmo: euzinho! Quer saber como? Então toca a ler o nosso estapafúrdio de hoje...

 

Polícia: Muito boa tarde, Sr. condutor, os seus documentos e os documentos da viatura por favor.

 

GIL: Aaaa... Aaa... Está aqui... Mas está tudo bem Sr. Agente?

 

Polícia: Isso é o que iremos ver já de seguida.

 

GIL: Aaaa... Aaaa... Sim, claro, claro. Esteja à vontade.

 

Polícia: Ora então diga-me lá: estava a caminho do centro comercial, para fazer as compras de Natal?

 

GIL: Não, não... Por acaso não.

 

Polícia: Ai não?! Então e que prendas é que está a pensar comprar para a família?

 

GIL: Eu?! Aaa... Olhe, ainda não pensei muito nisso. Mas está tudo bem? Posso-me ir embora?

 

Polícia: Calma homem! Você está cheio de pressa... Quer-me cá parecer que está a tentar esconder alguma coisa.

 

GIL: Eu?! Não, não! Nada disso Sr. Guarda. Nada a esconder. Faça favor de dizer...

 

Polícia: Bom... Eu mandei-o encostar porque tenho aqui uma prendinha para si.

 

GIL: Ai, desculpe, desculpe, desculpe... Eu sei que ia em excesso de velocidade, mas é que, sabe, eu estou atrasado para um funeral e não conhecia a zona...

 

Polícia: Calma, homem! Eu não falei em excesso de velocidade nenhum...

 

GIL: Ai, pronto. Foi o sinal vermelho, não foi? Eu já lhe disse Sr.. Guarda, eu não conheço a zona. Vinha distraído a olhar para os lados, a ver se via alguma tabuleta, e quando olhei para a frente já não deu para parar. Desculpe, desculpe, não me multe por favor.

 

Polícia: Mauuu... Mas você não me deixa falar?! Eu mandei-o parar porque...

 

GIL: Porque vinha a falar ao telemóvel?! É isso não é?! Ó Sr. Agente, eu estava perdido. Eu vou para um funeral, eu precisava que alguém me explicasse o caminho...

 

Polícia: PORRA, HOMEM! CALA-SE DE UMA VEZ! FECHE MAS É ESSA BOCA!

 

GIL: Então porquê? Cheira-lhe a álcool, não é?! Eu sei... Peço desculpa, tem toda a razão. Mas é que sabe, foi um tio muito chegado que me faleceu. Eu não estava a aguentar... Se eu não tivesse bebido aqueles whiskys não tinha conseguido vir ao funeral...

 

Polícia: Ora portanto: excesso de velocidade, passou um sinal vermelho, vinha a falar ao telemóvel e está a conduzir sob o efeito...

 

GIL: Tem razão! Tem toda a razão... Eu mereço... Vá, passe a multa! Dê-me lá a prenda que eu tanto mereço!

 

Polícia: Desculpe?! Mas você acha que depois de tudo isso, ainda merece uma prenda? Tenha juízo, pá... Vá-se mas é lá embora que este LCD, que tenho aqui nas mãos, vai ficar para outro condutor que não tenha cometido tantas infracções... Vá... Andor!

 

GIL: Oi?! Ham?! LCD? Então mas... Ah! Raios... Quem me manda a mim falar tanto...

LCD.jpg

 GIL

 

(e aqui fica o vídeo desta fantástica iniciativa:)